top of page

Jovem acolhido por Comunidade Terapêutica chega à fase final da Faculdade


Imagem: Arquivo Pessoal / Emanuel Buenos


Superação é a palavra que define Emanuel Buenos, de Caxias – MA, que viveu em situação de rua por dois anos e hoje inicia sua reta final no curso de Radiologia na Faculdade Maurício de Nassau, em Teresina – PI. O jovem, de 41 anos, sente orgulho de sua jornada e espera colher bons frutos da formação.


Aos 32 anos, Emanuel se tornou morador de rua, lugar onde viveu até os 34 anos de idade, consumindo drogas e recusando a ajuda de pessoas próximas. No ano de 2015, o estudante foi acolhido pela Comunidade Terapêutica Shalom, filiada da FENACT, através do Pastor Antônio e Pastora Laudelina, sua esposa.


“Eles me deram muita força. Me incentivaram bastante. Lá no começo, eu não queria estudar. E hoje eu estou onde estou graças a Deus, em primeiro lugar, e ao incentivo da Pastora e do Pastor”. Conta Emanuel, que hoje é colaborador e morador da Comunidade Shalom.


Emanuel chegou na instituição, em Floriano-PI, apenas com o primeiro ano do ensino médio completo, e lá resolveu fazer a prova do Encceja, teste que mede os saberes de jovens e adultos brasileiros que não concluíram o Ensino Médio. Desde então, decidiu que estudaria ao fim do tratamento.


Foi aí que surgiu a oportunidade de cursar o ensino superior. Através de sua ex-patroa, Emanuel pôde ingressar em uma faculdade. Lina Rosa Assunção é o nome de quem o jovem possui muita gratidão, pois é quem financia seus estudos em Radiologia.


Imagem: Arquivo Pessoal / Emanuel Buenos


“Quando eu comecei a cursar radiologia e a conhecer as matérias, eu fiquei com um pouco de receio, mas comecei a gostar a partir do momento em que tive uma matéria chamada Radiologia Infantil”.


O jovem já decidiu que pretende especializar-se na área, pois desenvolveu um grande amor pelo trabalho da radiologia com crianças. Emanuel afirma estar feliz com a vida que reconstruiu, e deve isso principalmente à sua fé e à Comunidade Terapêutica em que viveu.


“A ficha ainda não caiu, sabe? Tem hora que eu me olho assim e digo: poxa, Deus é muito maravilhoso. Eu era morador de rua, eu não tinha perspectiva de vida. Eu era praticamente um ninguém, e olha onde Deus me colocou hoje? Fazendo faculdade, sou um universitário, e louvo a Deus todo dia por isso. Tem pessoas por aí que dizem que comunidade terapêutica não tem resultado, que só é perda de tempo, e eu sou prova viva de que não é assim que funciona.”


Durante a entrevista, Emanuel também agradeceu à Rosário Soares, funcionária de Lina Rosa que deu bastante apoio ao jovem. Ele a considera peça indispensável em sua formação como estudante e como cidadão.

62 visualizações

Комментарии


Nossas Redes Sociais

Facebook

Instagram

bottom of page